Infraestrutura

Histórico | Coordenação | Infraestrutura | Proposta do Programa | Membros do Colegiado

Laboratórios

O ICB da UFMG conta com excelente quadro de professores pesquisadores e de servidores técnico-administrativos, além de pós-graduação (PG) bastante sólida. Assim, o mesmo é considerado um dos principais institutos de ensino e pesquisa do país, em todos os critérios qualitativos e quantitativos que se queira considerar. Com 49 anos, desde a sua criação em novembro de 1968, o ICB abriga 16 programas de PG (incluindo dois Mestrados profissionais), envolvendo mais de mil estudantes de mestrado e doutorado, além de número expressivo e crescente de estudantes de pós-graduação latu sensu e residentes pós-doutorais. Cerca de 5 mil alunos de graduação de aproximadamente 20 diferentes cursos presenciais também desfrutam deste ambiente científico, dos quais mais de 700 alunos de IC completam sua formação nos diferentes laboratórios de pesquisa do Instituto. Corroborando seu alto grau de qualidade, praticamente a metade dos mais de 280 docentes doutores do ICB são pesquisadores bolsistas do CNPq, sendo mais de 75 destes, pesquisadores nível 1, muitos deles renomados pesquisadores no país e no exterior. Este formidável conjunto de pesquisadores, assessorados por cerca de 190 servidores técnico-administrativos que prestam seu importante e precioso apoio a este instituto, lidera em torno de 100 grupos de pesquisa com produção científica anual altamente expressiva. Neste contexto, situa-se nosso Programa de Pós-graduação em Parasitologia.

Além disso, os discentes e docentes de nosso Programa contam com as facilidades oferecidas pelo ICB a partir do Centro de Laboratórios Multiusuários (CELAM). O CELAM foi criado com o objetivo de modernizar a infraestrutura do ICB e abrigar, de forma mais racional e funcional, equipamentos de grande e médio porte, de uso comum, especialmente os financiados por verbas do edital Pró-Equipamento da CAPES e CT-INFRA/PROINFRA da FINE. O CELAM congrega laboratórios equipados com os principais e mais modernos equipamentos nas respectivas áreas do conhecimento, incluindo: (1) Centro de Citometria de Fluxo (disponibiliza citometros de fluxo e cell sorter - FACScan; FACScalibur; FACSCanto II; FACS Aria), (2) Centro de Estudos de Genômica (disponibiliza plataforma de genotipagem BeadXpress e sequenciador Ion PGM sequencer), (3) Coleções Taxonômicas, (4) Centro de Proteômica, (5) Centro de Biossegurança Nível 3, (6) Centro de Georreferenciamento, (7) Centro de Processamento de Dados e (8) Centro de Treinamento e Pesquisa em Magnetorressonância (CTPMag), esses cinco últimos ainda em fase de estabelecimento. Além da estrutura física, o CELAM conta com uma equipe de servidores treinados para a operação dos equipamentos já em funcionamento.

Outro laboratório multiusuário já bem estabelecido no ICB é o Centro de Aquisição e Processamento de Imagens (CAPI), antes denominado CEMEL. Esse centro disponibiliza serviços de processamento de material e aquisição de imagens digitais, obtidas em microscópios eletrônicos de transmissão (Zeiss EM-10) e de varredura (Zeiss DSM-950). Além disso, o CAPI disponibiliza equipamentos de última geração tais como microscópios confocais da Zeiss (LSM 510, LSM 880 e 5 LIVE), aparelho de microdissecção a laser (MMI CellCut da Olympus), escâner digital de alta resolução de géis (Typhoon FLA 9000 da GE Healthcare), microscópio de fluorescência motorizado (Eclipse Ti da Nikon), escâner de lâminas histológicas de campo claro e fluorescência de alta resolução (3D Histech), criostato Leica CM 3050 S motorizado e sistemas de morfometria e análise de imagens digitais em 3D da MBF Biosience (Neurolucida e Stereo Investigator) acoplado ao microscópio Axio Imager Z2 da Zeiss. Além destes, possui acessórios para processamento de amostras para as microscopias eletrônicas, tais como micrótomos, ultramicrótomos e aparelho de ponto crítico de CO2.

Laboratórios

Laboratório de Aulas Práticas do Programa

O Laboratório destina-se à realização de aulas práticas, sendo dotado de 12 microscópios binoculares simples (Olympus CH2), um microscópio (BX41) para cinco observadores, sete estereoscópios Olympus, uma capela de fluxo laminar, além de bancadas próprias. O Laboratório dispõe de equipamentos áudio-visuais apropriados como um sistema de data show completo, tela para projeção e cadeiras confortáveis para eventuais aulas teóricas e explanações introdutórias de aulas práticas. Em atendimento ao aumento do número de vagas de Mestrado (atualmente são oferecidas 20 vagas) houve um redimensionamento do Laboratório de Aulas Práticas com a instalação de mais quatro novos microscópicos binoculares (Zeiss Primostar) o que tem garantido com sucesso a realização de aulas práticas das diferentes disciplinas ministradas em nosso Programa.

Laboratórios e Instalações do Departamento de Parasitologia

Além DO Laboratório de aulas práticas e salas de uso comum do Departamento de Parasitologia, os estudantes utilizam para a realização de suas pesquisas os equipamentos, material permanente e de consumo, auxílio técnico e outros recursos disponíveis nos Laboratórios dos professores orientadores. Ao todo, o Departamento de Parasitologia dispõe de 16 laboratórios de pesquisa muito bem equipados e agregados aos escritórios dos docentes, ocupando três blocos do último nível do Instituto de Ciências Biológicas e estendendo-se para mais dois blocos no terceiro nível do mesmo prédio. É importante mencionar que dois Laboratórios de pesquisa são compartilhados por diferentes professores como o Laboratório de Fisiologia de Insetos Hematófagos, compartilhado pelos professores Marcos Horácio Pereira, Nelder Figueiredo Gontijo, Ricardo Nascimento Araújo e Maurício Sant'anna e o Laboratório de Imunologia e Genômica de Parasitos compartilhado pelos professores Daniella Castanheira Bartholomeu e Ricardo Toshio Fujiwara.

O Departamento possui biotérios para criação e manutenção de animais em experimentação, incluindo camundongos transgênicos, hamsters, coelhos, cães e pequenos primatas (Callithrix penicillata). Além disso, o departamento possui um moluscário e seis insetários destinados à criação e/ou manutenção de culicídeos, triatomíneos, cimicídeos, ciclorrafos, pulgas e flebotomíneos. O departamento alberga também coleções científicas de referência, como a de pulgas (sifonápteros), que é uma das mais expressivas da América Latina, tendo sido ponto de partida para novas investigações, intercâmbios, aporte de pesquisadores e realização de teses e estudos de pós-doutorado. Também são mantidas no Departamento de Parasitologia-ICB-UFMG coleções de protozoários de interesse médico e veterinário criopreservados objetivando estudos sobre genética populacional, teste de drogas, imunologia, modelos experimentais, genômica, etc.

O Programa de PGPAR dispõe de uma sala de Seminários que se destina às aulas teóricas, apresentação de seminários, reuniões do Colegiado e defesas de teses e dissertações, dispondo de um sistema de refrigeração de ambiente e com capacidade para 65 assentos de poltronas. Possui também um sistema completo de multimídia, incluindo data show e computador ligado a web, aparelho de TV equipado para reprodução de DVDs e fitas de vídeo, projetor de slides e retroprojetor e um quadro interativo (Smart Board Interactive WhiteBoard).

As instalações do Programa incluem, também, uma sala para a Secretaria, dotada de computadores, impressoras e recursos de telefonia, bem como outra sala destinada à Coordenação do Programa.

Recursos de Informática

A UFMG disponibiliza acesso à internet sem fio (wireless) em todo o campus para a comunidade acadêmica. O Programa conta com o Laboratório de Informática do Núcleo Apoio à Pós-graduação (NAPG/ICB-UFMG) que disponibiliza uma sala equipada com nove computadores e recursos áudios-visuais destinados à utilização por discentes e docentes dos 16 programas de Pós-graduação do ICB/UFMG. Disciplinas da grade da Pós-graduação são oferecidas regularmente neste Laboratório, citando-se entre elas: Introdução aos Pacotes Estatísticos para Análise de Dados, Métodos Estatísticos em Epidemiologia e Bioestatística, e Bioinformática.

Biblioteca

A Biblioteca Setorial do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG (http://www.icb.ufmg.br/bib/) pertence ao sistema de bibliotecas da UFMG e disponibiliza a seus usuários o acesso ao texto completo de títulos nacionais e internacionais que integram o Portal CAPES de Periódicos (http://www.periodicos.capes.gov.br) bem como às diversas bases de dados referenciais. O acesso remoto a estas bases, desde 2006, está aberto a toda a Comunidade Universitária da UFMG, facilitando-lhe a opção quanto ao local de pesquisa e trabalho. Importante informar que no início de cada semestre a Equipe da Biblioteca Setorial do ICB/UFMG ministra um seminário no Programa de Pós-Graduação em Parasitologia do ICB/UFMG visando instruir os novos usuários no uso do Portal CAPES de Periódicos e do Sistema de Bibliotecas da UFMG. Em relação aos periódicos e seriados impressos, a Biblioteca Setorial do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG armazena mais de 600 títulos, a partir de 1996. Atualmente, por motivo de reforma estrutural, a coleção da Biblioteca Setorial do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG está atualmente alocada junto à Biblioteca Central da UFMG. Os campos do conhecimento correlatos à Parasitologia, como Imunologia, Biologia Molecular, Genética, Farmacologia e Epidemiologia também se encontram bem representados nas Bibliotecas do ICB, da Escola de Veterinária, da Faculdade de Farmácia ou da Faculdade de Medicina, favorecendo o acesso discente e docente às referências bibliográficas das demais áreas de concentração que integram o Curso de Pós-Graduação em Parasitologia e outras da UFMG, uma vez que todas as Bibliotecas da instituição são interligadas. Na Biblioteca Setorial do ICB estão armazenados livros, teses, dissertações, CDs e folhetos voltados para o atendimento dos programas de pós-graduação, todos como parte integrante do Catálogo On-line do Sistema de Bibliotecas da UFMG (http://www.bu.ufmg.br).

Na Biblioteca Central da UFMG está armazenado o acervo para atendimento dos cursos de Graduação bem como a coleção impressa de periódicos da área Biológica até o ano de 1995. As teses e dissertações encontram-se depositadas na Biblioteca Setorial do ICB e no setor Memória Intelectual da UFMG. A partir de 2006 elas passaram também a ser disponibilizadas eletronicamente, fazendo parte da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFMG.

É importante ressaltar que a Biblioteca da UFMG, em atendimento ao Edital Anual da FAPEMIG para aquisição de livros utilizados por cursos de Pós-graduação e destinados às bibliotecas, adquiriu nos anos de 2010 a 2015um número expressivo de livros didáticos solicitados pelo Programa de PG em Parasitologia e que são frequentemente consultados por nossos mestrandos e doutorandos. As listas completas dos livros adquiridos nestes editais (ainda em fase de atualização) estão disponíveis no seguinte endereço eletrônicos: http://www.icb.ufmg.br/bib/FAPEMIG.html.

Outras Informações

a) Infraestrutura para a disciplina Atividade de Campo

O nosso Programa considera que uma adequada formação teórico-prática em Parasitologia é tão importante quanto a produção científica de qualidade dos pós-graduandos, sobretudo para os discentes de mestrado. Assim, anualmente, oferecemos as disciplinas obrigatórias Atividade de Campo I e II, na qual os alunos de Mestrado e Doutorado vivenciam atividades no Norte de Minas Gerais (Januária e Dom Joaquim). Durante o desenvolvimento da disciplina os alunos entram em contato com a realidade de diversas parasitoses humanas e animais e também participam ativamente da coleta e exame de caramujos vetores de esquistossomose, triatomíneos e flebotomíneos. Consideramos esta experiência de campo fundamental para a integralidade da formação de um parasitologista. Para realização destas atividades, os estudantes e professores contam com o apoio do Centro Avançado para o Controle de Doenças Negligenciadas de Januária e Centro de Controle da Esquistossomose de São Joaquim, coordenados pelos professores do Programa Ricardo Toshio Fujiwara, Stefan Michael Geiger e Alan Lane de Melo. Abaixo, seguem-se as descrições dos dois centros que atendem à demanda da

Disciplina de Campo:

Centro Avançado para o Controle de Doenças Negligenciadas de Januária, MG

O Centro Avançado para o Controle de Doenças Negligenciadas de Januária (Rua Prof. Manoel Ambrósio, 450 Centro Januária/MG) foi criado em 2000 como uma ação conjunta de diferentes instituições, como a Universidade Federal de Minas Gerais, o Infectious Disease Research Institute (Seattle, EUA), a FUNASA e a Secretaria Municipal de Saúde de Januária (MG). As atividades principais do Centro concentram no diagnóstico precoce e tratamento da leishmaniose tegumentar humana e, atualmente, no controle de geohelmintoses e esquistossomose. Além disso, como o Centro atua como uma das bases para disciplina de Atividade de Campo, onde alunos de mestrado e doutorado do Programa de Pós-graduação têm a oportunidade de aprenderem diretamente sobre as leishmanioses e ainda outras doenças parasitárias endêmicas na região Norte de Minas Gerais. O Centro Avançado possui duas salas de procedimentos para avaliação clínica dos pacientes, recepção, cozinha, banheiro e almoxarifado e, ainda, com laboratório clínico para avaliação de biópsias de pacientes. Além do equipamento laboratorial (centrífugas, refrigeradores, microscópios, etc), o Centro possui dois eletrocardiogramas, que são utilizados para avaliação cardíaca dos pacientes (principalmente idosos e crianças) prévia ao tratamento com o fármaco padrão (Glucantime). Em média são avaliados 1400 pacientes por ano (600 casos confirmados de leishmaniose tegumentar/ano) que são submetidos ao teste de Montenegro para determinação da prevalência de leishmaniose na região. O Centro oferece o tratamento para pacientes notificados em outros centros, permitindo que um número maior de pacientes receba tratamento adequado conforme orientação médica. Todos os indivíduos que receberam tratamento são acompanhados e tratados até completa cura clínica da lesão apresentada. O Centro Avançado de Tratamento e Pesquisa em Leishmanioses é atualmente coordenado pelos professores Stefan Michael Geiger e Ricardo Toshio Fujiwara, docentes permanentes do PPGPAR-UFMG e conta ainda com a colaboração de cinco funcionários fixos cedidos pela FUNASA/SMS-Januária, sendo um auxiliar de enfermagem, um enfermeiro, um farmacêutico-bioquímico, uma auxiliar de limpeza e do médico Dr. Demétrius Fabian Fernandes.

Centro de Controle da Esquistossomose de São Joaquim, Januária, MG

Desde 2006, buscando principalmente a redução na prevalência da infecção pelo Schistosoma mansoni no distrito rural de São Joaquim, localizado a 100 quilômetros de Januária, município mineiro do Médio São Francisco, diversas atividades vêm sendo desenvolvidas pelo Centro de Controle da Esquistossomose (CCE) junto aos cerca de 5000 habitantes locais. Fruto da colaboração entre Universidade Federal de Minas Gerais, FUNASA e a Secretaria de Saúde Municipal de Januária, o projeto conta, atualmente, com sede física e equipe técnica no próprio distrito que atende ao público diariamente. Para se reduzir a transmissão do parasito na região parece fundamental, além das medidas de identificação dos focos de transmissão, diagnóstico e tratamento, não apenas a conscientização, mas o apoio e a participação populares que têm sido continuamente buscados durante, por exemplo, as realizações de eventos no CCE com cunho solidário. O envolvimento crescente de setores da sociedade, como da escola local, tem sido observado, indicando a possibilidade de estar em curso uma modificação ideológica que, no futuro, poderá proporcionar a existência de um controle social atuante. Ressalta-se que entre os anos de 2006 (quando foi realizado o inquérito coprológico seguindo-se o tratamento dos positivos), e 2009 (realização de exames malacológicos, coproscópicos, tratamento dos parasitados, palestras educativas entre outras atividades), verificou-se uma gradual redução na prevalência da parasitose de 58% para 26% e diminuição dos casos graves da doença, apesar de ocorrer contato diário com águas contaminadas da bacia do rio Jaboticaba (única fonte para o distrito). Outros parasitos ainda se encontram presentes com destaque para Entamoeba, Giardia, Ascaris e ancilostomídeos. Além da melhoria da saúde da população, a integração entre a Universidade e a comunidade de São Joaquim, tendo o CCE como referência, possibilita também a realização de pesquisas científicas e oferecimento de disciplinas do Curso de Pós-graduação em Parasitologia da UFMG.

Campus da UFMG - Av. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha - Belo horizonte - Minas Gerais - CEP: 31270901
Caixa Postal 486 - Sala 237 - Bloco E3 - ICB - UFMG - Telefone: (0**31) 3409-2962 - Fax: (0**31) 34092829 - e-mail: pg-par@icb.ufmg.br